Quando a concorrência precisa de remédio?

O tema dos chamados "remédios antitruste" tem sido alvo de boas e relevantes pesquisas no Brasil. Recentemente, em maio de 2018, o Cade também publicou a versão preliminar do seu Guia sobre o tema, ainda aberto para consulta pública. Cientes de que a utilização dos "remédios" visa a eliminar eventuais problemas concorrenciais resultantes da operação, preservar a concorrência no mercado e o bem-estar do consumidor, o que será que temos de pesquisas acadêmicas (doutrinárias e empíricas) no Brasil sobre o tema? Segue um breve aperitivo!

---

O tema dos chamados "remédios antitruste" tem sido alvo de boas e relevantes pesquisas no Brasil. Ora, quando um ato de concentração é notificado ao Cade, ele pode ser aprovado sem restrições, reprovado ou aprovado com restrições. Esta última hipótese pode ser considerada mais eficiente e proporcional em alguns casos, posto ser uma decisão intermediária entre a aprovação sem restrições e a reprovação. Nestes casos, portanto, é que se tem a utilização dos "remédios", que visam a eliminar eventuais problemas concorrenciais resultantes da operação, preservar a concorrência no mercado e o bem-estar do consumidor.

Em 2011, foi publicado o livro "Remédios Antitruste" (Editora Singular), organizado pelos Profs. Amanda Flávio de Oliveira e Ricardo Machado Ruiz, em que tive a oportunidade de escrever um artigo. Link: http://www.editorasingular.com.br/Default.aspx?Livro=88

Em 2015, por sua vez, a pesquisadora e também servidora do CADE Patrícia Samensato finalizou sua dissertação de mestrado sobre esse tema. Em sua pesquisa, intitulada "Remédios antitruste em atos de concentração : uma análise da prática do cade", a autora analisou a evolução da prática da autarquia no tema. Os resultados desse mapeamento permitiram identificar a evolução do perfil de remédios aplicados pelo CADE, de acordo com os seguintes critérios: tipo de remédio aplicado; principais setores da economia que têm sido objeto de intervenções; forma de aplicação dos remédios (soluções unilaterais ou negociadas); tipos de remédios aplicados de acordo com o efeito concorrencial gerado pela operação; prática do CADE em remédios de desinvestimento; práticas do CADE para monitoramento dos remédios aplicados. Link: http://repositorio.unb.br/handle/10482/17512

Dada a beleza da pesquisa, ela foi vencedora do prêmio SEAE de monografias! (https://www.esaf.fazenda.gov.br/assuntos/pesquisas-e-premios/premio-seae/monografias-premiadas-em-edicoes-anteriores-premio-seae)

Em 2017, a Tereza Braga também publicou sobre o tema, na revista do IBRAC, com artigo intitulado "Remédios em atos de concentração: aprendizagens e aprofundamentos". Link: http://www.ibrac.org.br/UPLOADS/PDF/RevistadoIBRAC/Revista_23_n%C2%BA_2.pdf

Em maio de 2018, o CADE finalmente divulgou a versão preliminar do seu Guia de Remédios Antitruste, que segue em consulta pública até 7 de julho de 2018. Link: http://www.cade.gov.br/acesso-a-informacao/participacao-social-1/contribuicoes-da-sociedade/guia-remedios-antitruste-versao-preliminar.pdf. Neste documento, foram apresentados os aspectos gerais sobre os remédios antitruste, os princípios gerais aplicáveis, as diretrizes gerais (como a preferência por remédios estruturais, por exemplo), além de uma análise específica dos possíveis remédios estruturais, comportamentais e das medidas de monitoramento, bem como do uso de trustees.

Finalmente, em junho de 2018, tive a alegria de concluir a orientação da monografia da aluna Maria Carolina França, do IDP, intitulada "REMÉDIOS ANTITRUSTE, MEDIDAS DE PRESERVAÇÃO E SEPARAÇÃO E MONITORAMENTO: Uma Análise Empírica Dos Julgados Do Cade Na Vigência Da Lei 12.529/2011". A pesquisadora realizou pesquisa empírica dos remédios antitruste aplicados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a partir da vigência da Lei 12.529/2011. A autora identificou os atos de concentração submetidos ao controle prévio do Cade no período de janeiro/2013 a dezembro/2017. Destes, foram analisados 29 (vinte e nove) atos de concentração em que houve aprovação com restrições, com a consequente imposição de remédios antitruste. Em síntese, foram examinados os remédios antitruste, as medidas de preservação e separação do negócio desinvestido e o monitoramento de remédios antitruste de acordo os seguintes aspectos: forma de aplicação de remédios (decisão unilateral e solução negociada); local de início das negociações (Tribunal e Superintendência-Geral); remédios antitruste aplicados pelo Cade (estruturais, comportamentais e mistos); remédios antitruste aplicados em casos de integração vertical e de sobreposição horizontal; tipos de remédios estruturais adotados (venda pacote de ativos; venda ou licenciamento de propriedade intelectual e venda de unidade de negócio existente); tipos de medidas de preservação e separação do negócio desinvestido aplicadas (medidas de preservação de viabilidade, de comercialização e de competitividade do negócio desinvestido; cláusula de não aliciamento ou não solicitação; proibição de acesso a informações concorrencialmente sensíveis; diligência legal; obrigações de isolamento); tipos de remédios comportamentais estabelecidos (manutenção ou alteração da oferta; comunicação e transparência; proibição de estratégias exclusionárias e de fechamento de mercado e garantia de acesso; vedação de troca de informações e manutenção de independência; tratamento não discriminatório; compliance; outros tipos de remédios comportamentais); monitoramento de remédios antitruste adotado (trustee e auditoria externa independente); e tipos de trustees estabelecidos (trustee de monitoramento; trustee de desinvestimento; e administrador independente). Por fim, os resultados obtidos são avaliados à luz dos incentivos gerados pelo sistema de análise prévia, bem como do amadurecimento do Cade como autoridade de defesa da concorrência. Em breve estará disponível para acesso!

Recent Posts

Archive

Follow Us

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Facebook Pessoal
  • Grupo Facebook
  • White LinkedIn Icon

2017 by @irisramadasdesign