Discriminação de preços por gênero?

Que as pautas feministas estão em voga, já discutimos recentemente. Que o tema tem trazido debates na seara concorrencial, também estamos cientes. Agora, de que modo a discriminação por gênero pode vir a ser considerada uma conduta anticompetitiva, passível de repreensão pelas autoridades de defesa da concorrência no mundo?

---

Em post anterior, mencionei que a OCDE lançou o debate sobre os possíveis reflexos na concorrência das questões relacionadas a gênero (https://www.amandaathayde.com.br/single-post/2018/06/21/Concorr%C3%AAncia-e-g%C3%AAnero-hein). Esse também foi o tema da palestra da Carolina Saito, Diretora da rede Women in Antitrust (WIA), no nosso primeiro evento realizado na UnB em Brasília, em maio de 2018.

Recentemente, os autores Dudley Cooke (University of Exeter), Ana P. Fernandes (University of Exeter) e Priscila Ferreira (University of Minho, NIMA) publicaram interessante artigo em que concluem que a discriminação por gênero no mercado de trabalho reduz oferta, e que a desregulação pode contribuir para reduzir ineficiências decorrentes dessa discriminação. Link: http://www.gee.gov.pt//RePEc/WorkingPapers/GEE_PAPERS_105.pdf.

Recent Posts

Archive

Follow Us

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Facebook Pessoal
  • Grupo Facebook
  • White LinkedIn Icon

2017 by @irisramadasdesign